Construindo relações significativas

Como relacionamentos bem estruturados podem ajudar na sua sobrevivência profissional

É certo que as redes sociais contribuíram imensamente para conectar um número muito grande de pessoas que fazem ou fizeram parte de nossas vidas e, se levarmos em consideração uma frase conhecida no meio empresarial que diz: "não importa o que você conhece, mas quem você conhece", pode parecer que uma boa rede de contatos online fará de você uma pessoa de sucesso. Será mesmo?

Nossa vida profissional depende de vários fatores, como o conjunto de habilidades e competências que desenvolvemos ao longo do tempo em nossos trabalhos, e, faz parte desse conjunto de competências o relacionamento interpessoal.

O grande problema é que a construção de relações interpessoais significativas depende de dois fatores escassos em nosso cotidiano: dedicação e tempo. E é justamente por conta dessa escassez que apelamos para as relações líquidas promovidas pelas redes sociais.

Agora, será que um dos milhares de contatos que você tem em suas redes sociais se lembrarão de você no surgimento de uma oportunidade?

É claro que é humanamente impossível ter uma relação profunda com toda a nossa rede de contatos, mas a construção de uma boa rede de relacionamentos será mais produtiva se desenvolvida com qualidade em um grupo de dezenas de pessoas do que por relações frias com centenas ou milhares de pessoas. Pense em sua rede profissional como um grupo em torno de quinze pessoas que estejam dispostas a ajudar uns aos outros em seu sucesso profissional ou em seus projetos, porém não baseie sua rede pela importância que essas pessoas possuem para o mercado ou para interesses próprios, mas sim, em pessoas que possuem afinidades com você e compartilham os mesmos valores e interesses, mas que ao mesmo tempo, pensem de forma diferente. Isso garantirá seu desenvolvimento pessoal e o fortalecimento do vínculo criado, mas lembre-se: ouça atentamente e faça boas perguntas.

Isso quer dizer que o investimento em uma relação significativa parte da sua disponibilidade para o outro, e estar disponível para o outro exige tempo. Você já parou para pensar qual foi a última vez que conversou durante horas com uma pessoa se interessando por apenas por ela e não por você? Da próxima vez que encontrar com uma pessoa importante para você, tenha interesse por ela. Lembre-se que manter uma conversa ativa com alguém por muito tempo dependerá da sua capacidade de elaborar e fazer boas perguntas. Nunca tenha medo de fazer perguntas sobre os outros, e seja genuinamente interessado no que os outros têm a dizer para você. Mantenha seu foco em fazer boas perguntas e não em saber tudo o que precisa dizer.

Se você procura o estabelecimento de uma rede de contatos para o desenvolvimento de sua carreira ou negócio e conheceu uma pessoa que pode alavancar de alguma forma esse objetivo, cuidado: não vá com muita sede ao pote! Procure conhecer as pessoas profundamente e esteja pronto para ajudá-las antes que elas possam te ajudar. Isso fará com que a troca ocorra naturalmente, caso contrário cada vez que a pessoa receber uma chamada telefônica sua ela pensará: "Ah, não! O que será que ele quer agora!!!".

Em linhas gerais, se você quiser construir vínculos fortes, pense como você pode ajudar o outro a alcançar seus objetivos e esteja disposto a ouvir sobre suas necessidades.

Não há atalhos para criar relações fortes e duradouras. Essas relações devem possuir fundações sólidas e não podem se apressadas. Elas exigirão uma dedicação e um investimento de tempo, em que você deverá ser íntegro, empático, disponível, atencioso e, principalmente, confiável, sendo este último o pilar de sustentação de um bom relacionamento.

Com isso em mente, tente transformar o ambiente de sua próxima reunião ou encontro com um parceiro de negócios ou um cliente. Faça com que ele se lembre desse momento!

Lembre-se: em uma relação saudável, o outro só terá interesse em você quando essa for uma via de mão-dupla, portanto, mantenha o interesse no outro e ele sempre lembrará de você.

CONVITE: 5 FASES DE UM CONFLITO

PARTICIPE DA AULA GRATUITA NA PRÓXIMA SEMANA!
ÚLTIMAS VAGAS!

Foto por Brooke Cagle / Unsplash

Rodrigo Orellana
Professor, autor e entusiasta da Psicologia e da Educação